quinta-feira, setembro 08, 2005

AMO

À semelhança do que eu escrevi no post 'Quarta-Feira' de 20 de Julho, hoje é dia de reflexão, mas desta feita em vez de ser reflexão espacial sozinha em casa, é reflexão pública.
Por acaso um jantar que tinha hoje foi cancelado em cima da hora.Estava com pica de ir ao cinema, mas todas as pessoas que me lembrei de ligar estavam ocupadas, cansadas, a estudar,sem dinheiro... E sozinha não gosto de ir ao cinema,regra geral faz muito frio lá dentro!
E isso levou-me involuntariamente a vaguear pela reflexão pública. Não me apetecia vir para casa e a verdade é que não há nada melhor do que andar sem rumo pelo meio de quem tem um destino certo.
Eu confesso.Adoro ouvir as conversas dos outros. Adoro imaginar as situações que descrevem. Adoro imaginar as pessoas de quem falam. E depois ,sem querer, começo a ficar um pouco ticosa, a absorver as manias e falas de quem oiço.
Depois passo os olhos por uma montra,troco a mala de mão, vejo os livros e festejo com quem se ri.
É por isso que a vida é rica.Porque nos empurra, vezes sem conta, para fazermos coisas que não queremos,e que no final até sabem bem.
Hoje descobri outra vez que amo a vida.A minha e a dos outros.

19 Comments:

Blogger estreladomar said...

Já somos duas. Adoro os dias em que descubro. Que a amo. À vida.

1:22 da manhã  
Anonymous quico said...

eu adoro deambular pela cidade, acho que até sabes bem... mas quanto ao facto de toda a gente estar ocupada, cansada e mais 1001 desculpas para não te acompanhar ao cinema... parece-me exagerado... tens de percorrer a lista toda... pode ser que me encontres

9:27 da manhã  
Blogger MPR said...

Tenho esse vicio de observar as pessoas... Vê-las passar no mundo, criar pequenas histórias e vidas, imaginar de onde vêm e para onde vão... É um hábito... estranho.
Quanto ao não arranjar ninguem... concordo com o quico, procura bem. Recomecei uma amizade (que cresce agora diáriamente) com um telefonema a meio de agosto numa sexta feira a dizer "Queres ir ao teatro? Desce daqui a dez minutos!" Creio que nunca lhe tinha ligado para o telemovel antes... É uma questão de tentar. Às vezes até os tiros no escuro acertam em cheio.
(É mesmo bom redescobrir as pequenas coisas e o amor pela vida não é?...)

11:05 da manhã  
Blogger vela ao vento said...

Eu, gosto de ir ao cinema sozinha, gosto de rir comigo, de reflectir, de olhar em volta, de escutar.Ás vezes é nestas alturas que me encontro e gosto ou não, do que vejo.
Amar a vida? Cada segundo fantástico que ela nos proporciona.
Mas, sei, que depende de mim amá-la ou não.

11:23 da manhã  
Blogger andre said...

eu nao te vou dizer que me tinhas na tua lista e reclamar por nao me teres ligado porque eu até sabia que ias ao cinema e eu é que decidi deixar-te sozinha para poderes reflectir à vontade :P

e esta hein?

Foi só para me meter contigo e fazer publicidade ao meu blog que precisa de ser publicitado porque coitadito .. é uma criança ainda :P
tava a dizconversar...nao é assim ?

Beijinhos bom fim de semana...
adorei mesmo os teus 2 ultimos textos e adoro deambular como tu o fizeste... e sou ainda mais cusco que tu ...
faz-me bem ... ouvir ... reflectir... criticar.. apreciar.. tudo isso junto pode preencher um fim de tarde sem nada para fazer

11:48 da manhã  
Blogger Jameson said...

eu também :)

12:13 da tarde  
Blogger SGTZ said...

Passear em Lisboa apenas com a companhia do Carlos Paredes nos ouvidos, o que nos vai passando pela cabeça e um cigarro inesgotável dá-nos uma visão diferente do Mundo. Fica tudo mais calmo, mais harmonioso, menos triste, mas muito mais melancólico ...
A Avenida da Liberdade, Baixa, Alfama, Castelo, Graça, Anjos, Areeiro, Estados Unidos da América, Sete Rios e Benfica é um daqueles percursos, naturalmente de carro, que retempera as forças e a alma...

12:57 da tarde  
Blogger joaopedromira said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

2:35 da tarde  
Blogger joaopedromira said...

O meu telemóvel partiu-se faz hoje três dias.
posso portanto ficar a pensar se terei sido(ou não) um dos "cansados/incontactáveis" com a possibilidade de uma ida inesperada ao cinema...

2:39 da tarde  
Blogger João said...

Passo muito tempo a pensar na vida, na minha e na dos outros, nas razões para tudo e mais alguma coisa… é um raciocínio quase involuntário, mas muitas vezes esgotante e inconclusivo! E é naqueles momentos em que as coisas (relevantes ou não) acontecem… e são simplesmente vividas sem que me ponha imediatamente à procura das respostas aos meus “porquês”, que a vida sabe melhor! É nesses momentos que as coisas ganham cor… e quase que me vejo a enrolar a ponta do bigode e a dar um pezinho de dança com o copo equilibrado na barriga.

3:19 da tarde  
Blogger MPR said...

É curioso. Tens muita gente a comentar e por vezes consegue-se distinguir, quase vêr quem são os teus amigos, os conhecidos e aqueles que nunca te viram na vida! Faz-se um forum interessante...

3:28 da tarde  
Blogger Miss Xangai said...

Depois de 4 ou 5 tentativas ontem, achei que Alguém lá em cima me queria dizer para reflectir publicamente sozinha. E foi o que fiz. Bem bom, por sinal. Eu sei que podia ter explorado um pouco mais mas achei por bem ouvir o sinal. The inner voice!Mas obrigada, para a próxima insisto, prometo!
Estou a ver que devíamos falar sobre cusquice..há tanto para explorar...
Tenho a sorte de ter muitos amigos dizconversadores

3:36 da tarde  
Blogger vela ao vento said...

Está aí o interessante da blogosfera...
;o)

4:01 da tarde  
Anonymous Bruno said...

Sua intrómetidá !!!

O teu nome devia deixar de ser CUCA, para ser CUSCA !!!

ehehe

9:53 da tarde  
Blogger oRdEp said...

Tenho saudades de andar por Lisboa sem rumo definido, vendo as luzes, olhando as fachadas, sentar-me num banco e ver as pessoas passar, observar e absorver tudo...
E tenho saudades de ouvir falar português na rua!! LOL...

Enfim...as saudades de Lisboa! Mas a vida é bela, esteja ela a desenrolar-se no sitio mais estranho do mundo.

Beijo

10:24 da manhã  
Blogger Mary Mary said...

Nada como descobrir todos os dias que amamos a vida e tudo o que ela nos dá. Foi há pouco tempo que descobri este amor incondicional pela vida, de vez em quando é preciso levar sustos à nossa volta para nos voltarmos a descobrir... Esse é um vício um tanto ou quanto estranho e pelos vistos todos partilhamos do mesmo mal. Andar a ver o que se passa à nossa volta e querer saber mais. O ser humano é sem dúvida curioso por natureza. E como dizem os meus amigos: "Lá estás tu a fazer o filme todo!"
É um fenómeno interessante para ser estudado...

9:46 da tarde  
Blogger joaopedromira said...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

2:16 da manhã  
Blogger joaopedromira said...

os pequenos prazeres tornam-se enormes.

dou preferência às coisas simples
a vida no fundo é simples

há uma música em que o e. vedder diz:

"i know i was born and know that i´ll die,
the in between is mine"

2:17 da manhã  
Blogger Jay Cee said...

Sei q n tem nd a ver, mas é a primeira vez q comento como blogger :)
As melhoras cucazinha!
bjinho

2:03 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home