terça-feira, setembro 27, 2005

1º DID

Hoje o meu horóscopo diz assim :"Generosity guides you today - unconsciously, you'll be giving everyone gifts."
Perante isto fiquei preocupada. Não tenho muito dinheiro, e o meu everyone pode ser bastante alargado.
Decidi fazer um concurso super-avançado de entrega de um presente. Será o 1º DID- Desafio Interplanatário Dizconversando- Tem de ser uma coisa material, não há cá "paz no mundo" nem "fim da globalização".Ando fútil e nada me pára.
Tudo é possível, o mais original será votado aqui e entregue. Lembro-me que há pouco tempo uma amiga brasileira andava a pedir um microfone tipo Xuxa 88. Têm é de ter a certeza que existe e que é humanamente possível obtê-lo.Não caro, mas especial.
Bem sei que a muitos já vos falei pessoalmente sobre este concurso, mas através do blog chega a mais criativos, o risco de dificuldade aumenta e todos podem saber das sugestões. Este é o anúncio oficial.Sugiram mais que uma coisa, muitas vezes as nossas primeiras ideias não são as melhores.
É um desafio, já que o que fôr mais votado, eu vou à procura e entrego (com foto publicada e tudo). É uma promessa.
É infantil bem sei.Mas AMO desafios infantis tipo não-consegues-pôr-este-empadão-todo-na-boca-e-tapares-o-nariz-enquanto-fazes-o-pino.
Quem começa?

sexta-feira, setembro 23, 2005

Fui e Vim

Fui e vim. Senti-me uma princesa o tempo todo. Livre,leve e solta a gozar os prazeres de ter uma tarde marcada pela futilidade na cidade mundial da moda. Agora é escrever tudo o que aprendi lá.
Um dia disseram pro poeta nordestino Zé da Luz, cabra macho do começo do século passado, que pra falar de amor tinha que usar o português correto. Aí ele fez uma poesia que diz assim:

Ai, se sêsse!

Se um dia nós se gostasse;

Se um dia nós se queresse;

Se nós dois se impariásse,

Se juntinho nós dois vivesse!

Se juntinho nós dois morasse

Se juntinho nós dois drumisse;

Se juntinho nós dois morresse!

Se pro céu nós assubisse?

Mas porém,

se acontecesse qui São Pêdo não abrisse as portas do céu e fosse,

te dizê quarqué toulíce?

E se eu me arriminasse e se tu insistisse,

prá qui eu me arresorvesse e a minha faca puxasse,

e o buxo do céu furasse?

Tarvez qui nós dois ficasse

tarvez qui nós dois caísse

e o céu furado arriasse e as virge tôdas fugisse!

www.desconversando.blogger.com.br

terça-feira, setembro 20, 2005

piada triste

(trazida até Vós por gentil dizconversador através do dizconversando@hotmail.com)
E pronto, com esta triste piada francesa me voy. Adeus até ao meu regresso. Se eu nunca voltar podem ficar com os meus origamis e todos os meus livros de receitas. Se alguém quiser alguma coisa de milano é só escrever nos comentários... Sintam-se osculados, Cuca.

segunda-feira, setembro 19, 2005

Ai Ai Ai

Não há explicação. Ando a tremer por todos os lados, com o coração acelarado e a dar voltas na cama. Na Quarta-Feira vou ter de ir a Milão a trabalho e voltar no dia a seguir. Vou ter de andar de avião S-O-Z-I-N-H-A.
Vocês não têm noção. Desde os 9 anos que ando de avião regularmente por questões diversas, e até aos 20 nunca tive razão de queixa. Tenho um pai com uma fé inabalável na aviação que me impediu sempre de sentir o menor receio. Mas com 20 anos fui visitar uns familiares aos States e apanhei um vôo tão mau que jurei para nunca mais. E passado uns meses quebrei a jura...
E agora pela primeira vez na vida não vou ter a quem agarrar a mão na altura da descolagem.
Como tenho de estar sóbria quando chegar não posso tomar os comprimidinhos maravilha e não convém beber para disfarçar. Também não posso ir directa sem dormir, dá mau aspecto aos italianos!
E o pior é que quando chegar começo com suores frios a pensar no regresso.
Please, please alguém tem alguma técnica maravilha?

quinta-feira, setembro 15, 2005

ChéChé é Obrigado

Os meus pais voltaram ontem de uma viagem de um mês pelo Tibete e China rural. Estiveram três horas a falar comigo sobre a experiência e quando já cheia de sono lhes disse que vinha para casa concluíram com um «pois é, nem que estivessemos aqui a falar um ano ias compreender. É uma coisa que não se explica».
No meio contaram-me 10 histórias que parecem surreais, e que se não os conhecesse imaginaria apimentadas de exagero.
Uma dia, no meio do nada, entraram numa loja considerada fina (mas que cá seria tida como paupérrima) e viram a avó- dona da loja- a pôr um menino a fazer o que ninguém fazia por ele no meio do estabelecimento. E, segundo a minha mãe, não foi devidamente recolhido -pelos menos até saírem de lá-.
O meu pai contou-me que desde a juventude que não tinha o ego tão em alta. Jovens casadoiras paravam para o admirar nas ruas das aldeias, e olhavam-no estupefactas com a fisionomia dele. E depois soltavam risinhos.
Certa vez a passarem numa aldeia no meio do nada, e a uma altitude de mais de 4500m, a banda das festas comemorativas da colheita local, parou para as pessoas verem como era a imagem deles mesmos nos visores das câmaras digitais.Nunca tinham visto uma máquina fotográfica ao vivo!
Em um mês foram raras as casas de banho que usaram. Tudo é ao ar livre. O grupo de 40 em que estavam perdeu a vergonha nos primeiros dias. Olhavam para o lado e para o final já havia quem aconselhasse locais perto de campos de soja!
O meu pai viu o Portugal-Rússia numa aldeia mesmo no centro da China, e os locais estavam loucos com o Cristiano Ronaldo.
E tantas outras histórias...
E no final perguntei «Então e palavras em tibetano?».Só decoraram uma: «Chéché é Obrigado!»

segunda-feira, setembro 12, 2005

Yada,Yada,Yada

Eu bem sei que sou pimba, que sou. E não vale a pena virar a cara para o lado e tossir um suave «não és nada ,coitadinha», que eu sei que sou,pronto! E por isso vejo a Oprah Winfrey e de vez em quando choro baba e (detesto esta outra palavra,não consigo escrever). Agora pensam «além de pimba é limitada, coitadinha», mas é a realidade.
Isto para dizer, que em 100 programas que já devo ter visto dela, há um que vi a semana passada que posso finalmente dividir convosco. O do Seinfeld.
14 anos após a primeira série, e 5 anos após o último episódio ter ido para o ar, o elenco juntou-se no sofá da Oprah. E digo-vos, foi tão estranho. Para quem viu sabe o que estou a falar.
O Jerry Seinfeld velho, casado e querido!O George Constanza está um pote,careca e querido!A Elaine estava bem vestida,sem reacção e querida!Mas o Kramer foi a maior surpresa. Tão velho,tão calado,tão calmo.Até deu dó.
Claro que eu fã histérica da série gravei o programa para poder provar o que escrevo.
Mas cabe na cabeça de alguém ver a Elaine bem vestida?O Seinfeld casado?O George a preocupar-se genuinamente com coisas importantes?E o Kramer a fechar uma porta com cuidado?
Não Oprah, desta vez foste longe demais. Há mitos que não se devem quebrar!

quinta-feira, setembro 08, 2005

AMO

À semelhança do que eu escrevi no post 'Quarta-Feira' de 20 de Julho, hoje é dia de reflexão, mas desta feita em vez de ser reflexão espacial sozinha em casa, é reflexão pública.
Por acaso um jantar que tinha hoje foi cancelado em cima da hora.Estava com pica de ir ao cinema, mas todas as pessoas que me lembrei de ligar estavam ocupadas, cansadas, a estudar,sem dinheiro... E sozinha não gosto de ir ao cinema,regra geral faz muito frio lá dentro!
E isso levou-me involuntariamente a vaguear pela reflexão pública. Não me apetecia vir para casa e a verdade é que não há nada melhor do que andar sem rumo pelo meio de quem tem um destino certo.
Eu confesso.Adoro ouvir as conversas dos outros. Adoro imaginar as situações que descrevem. Adoro imaginar as pessoas de quem falam. E depois ,sem querer, começo a ficar um pouco ticosa, a absorver as manias e falas de quem oiço.
Depois passo os olhos por uma montra,troco a mala de mão, vejo os livros e festejo com quem se ri.
É por isso que a vida é rica.Porque nos empurra, vezes sem conta, para fazermos coisas que não queremos,e que no final até sabem bem.
Hoje descobri outra vez que amo a vida.A minha e a dos outros.

quarta-feira, setembro 07, 2005

Apanhem o patife que...

...nos convenceu que ,nós que não temos bigode, seremos um dia mais felizes que os demais?
Irra,tantos anos a estudar e não sabemos nada da escola da vida...
Ao menos os Sr. Antónios deste Portugal...
...Fazem malabarismos linguísticos com o cigarro
...Bebem bem e comem melhor
...Não almoçam às pressas para voltar para o trabalho
...Podem poisar o copo na barriga
...Dançam melhor que muito alfacinhas no Lux
E que mais?
-Ser com bigode é ser mais alto, é ser melhor que outros homens-
(hoje prometi a mim mesma que ia abusar das reticências, e assim fiz!)

segunda-feira, setembro 05, 2005

a 15cm do sofá

Quem me conhece sabe que há poucas coisas que me dão tanto gozo como a dança.
Hoje foi o regresso, depois de um mês sem dançar.
Chego mesmo a ter picos de felicidade.
Os anúncios a pensos higiénicos também costumam ter descrições do que nos faz sentir bem. «Ficar horas no banho quente num dia frio, deitar-me numa cama feita de lavado, gritar quando estamos no pico da montanha...»
Aqui há uns tempos havia um, que só de ver aquilo, me elevava a 15cm do sofá. Juro!
E depois havia o "Spectacular Spas". Que era uma senhora do People&Arts que andava pelo mundo a experimentar spas. Lembro-me que quando estudava para os exames parava para ver esse programa e ficava automaticamente relaxada...Se lhe massajavam a nuca, massajavam a minha também.Se lhe espalhavam pedras quentes na barriga no meio da Califórnia, espalhavam pela minha barriga também aqui na Estrada da Luz...
E a vocês?o que vos faz sentir mesmo bem, além disso que estão a pensar?

sexta-feira, setembro 02, 2005

Questões musicais

Há que reflectir...
1) 'Let me touch him' será um apelo ao contacto com o mesmo sexo?
2)Será que, a julgar pelo seu semblante, Jim Post ama mesmo a vida?E ,em caso afirmativo, é impressão minha ou o homem tem um rabo-de-cavalo que sensualmente cai do lado direito?
( imagens patrocinadas por dizconversador*, via mail )