terça-feira, agosto 30, 2005

Ama, por favor!

Até estou arrepiada. É um texto tão cru e tão bem escrito que dói. E é um grito ao ouvido de quem teima em ver os dias a passar sem amar verdadeiramente. Way to go Miguel Esteves Cardoso!
Está publicado no blog de um amigo dizconversador* - www.poezzyourlife.blogspot.com , e chama-se "Elogio ao Amor".
"Dá lá um jeitinho sentimental" é muito mau.E a quantidade de pessoas que vivem assim.Vão-se gostando convenientemente...
Se é para amar, que seja com o sangue a ferver! God damn it!

18 Comments:

Blogger jota said...

direi mesmo mais: GOD DAMN IT!!

5:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Louise(acertei ?),

Paixão é diferente de amor. Amor sem paixão sabe a pouco. Paixão sem amor é rápido e com o passar do tempo sabe a inconsequente (apesar de também saber bem abrir o peito e gritar que estamos apaixonados e que todos os outros estão - só podem estar... - um degrau abaixo).

Não tenho certezas quanto a este assunto e admito que o MEC tem alguma propriedade quando diz que nos dias que correm as pessoas preferem fingir-se apaixonadas a correrem os riscos de assumirem que o amor "já cá não mora". Parece um pouco merdoso, sem dúvida...

Mas o oposto (viver só de paixões) também encerra riscos. Um pouco como um professor de história que tive que um dia desabafou a propósito de um rei consorte que tivemos (que foi escolhido por conveniência mas que se deu muitíssimo bem com a nossa rainha tendo tido filhos a montes e vivido uma intensa harmonia amorosa durante décadas): "Antigamente as pessoas casavam-se por conveniência e os casamentos duravam vidas. Hoje as pessoas casam-se por "amor" e os casamentos duram meses"...

Não tenho respostas definitivas nem julgo ninguém - cada um come daquilo que gosta ... e pelo tempo que gosta - mas cada vez acho mais que os casamentos são um pouco como a rosa d'O Principezinho...precisava de umas gotas todos os dias...investir todos os dias mais um pouco, o que significa por vezes aceitar com paciência que não se pode ter tudo e que os outros, tal como nós, não serão perfeitos...a partir daí sim, é possível estar apaixonado uma vida inteira...

Vale o que vale.

PS- É engraçado pensar que na monarquia espanhola o rei Juan Carlos combinou com os 3 filhos que nenhum deles casaria antes dos 30. Todos cumpriram e, coincidência ou não, todos eles se têm mantido casados...

8:12 da tarde  
Blogger joaopedromira said...

... "o jeitinho sentimental" diz realmente tudo.Tão simples a conjugação das palavras para uma comunicação de ideia totalmente eloquente.
O engraçado é que, mesmo com estes avisos, temos a "tentação" sedentária de repetir a trapalhada do amor aldrabão; e os anos a passar; vivemos encostados sobre a pressão do tempo, vivemos pressionados por tentar perceber o que é um amor perfeito...que todos aparentemente o vivem.A mentira dos filmes, publicidade, etc...A vida parece uma festa à qual chegamos atrasados e depois andamos horas(anos) a tentar encaixarmo-nos nela...a tentar percebê-la.Quando de repente, a festa acaba...

12:44 da manhã  
Anonymous quico said...

O que eu amava mesmo era poder disfrutar das aventuras da grande viagem, como dizconversador exijo fotos e histórias e peripécias!!!

9:26 da manhã  
Blogger SGTZ said...

Fala-se do tabaco, do café, dos charros, da coca e da heroína, mas haverá vício como o de AMAR?
Mesmo o pior dos "carochos" agarra-se à namorada para conseguir empurrar as suas outras dependências...
Por mim, não dispenso a minha dose diária e como, eu que nem gosto do MEC, assumo a minha condição de "carocho", nem hesito em dizer: "Ó menina! Há aqui um lugar!"

Já ninguém quer amar a sério?
É MENTIRA!!! Somos poucos, mas somos bons. Não é Cuca?


www.aminhamusica.blogspot.com

12:53 da tarde  
Blogger Miss Xangai said...

Eu já sabia que ao escrever este post haveria quem confundisse paixão com amor.E o anónimo a seguir ao jota veio confirmar! Mesmo falando de amor e do facto de o termos que regar dia após dia, as relações não devem ser passivas, e é principamente sobre isso que o texto fala. As pessoas muitas vezes confundem conveniência com amor. O 'jeitinho sentimental' é uma praga social, só que é uma praga controlada.

amar deve ser , mesmo que pontualmente, de cortar a respiração.

pelo menos eu prefiro a vida assim...

3:11 da tarde  
Blogger Jameson said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

4:59 da tarde  
Blogger Jameson said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

6:16 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Cuca,

o tempo vai ajudar-te a ver as coisas de outras formas...

7:06 da tarde  
Blogger Miss Xangai said...

Claro. A mim e a qualquer ser vivo!Graças a Deus que a vida não é sempre igual.Tu também verás a vida diferente daqui a um tempo...é uma das suas belezas.Mas viver com alguém por conveniência sentimental, especialmente entre pessoas da nossa idade, é um desleixo que tenho alguma dificuldade em compreeender...

11:45 da manhã  
Blogger Jameson said...

a piada da vida é errar... só assim vale a pena vivê-la! todos temos conselhos para dar... mas a verdade não há melhor conselho que o próprios disparates que fazemos. Boa resposta Cuca

12:34 da tarde  
Blogger MPR said...

Amar não é uma escolha! É um impulso incontrolável que nos transforma naquilo que somos. Negar o amor é negarmo-nos a nós próprios. O amor é por definição apaixonado, nunca percebi estas distinções, ou se calhar é a minha definição de paixão que está errada...

6:35 da tarde  
Blogger SGTZ said...

Não sei se "a piada da vida é errar", mas certamente que sem erros não se consegue viver!
Será que sem ouvir D'Zrt nos conseguimos aperceber de quão bom é o Charlie Parker? Será que sem termos sido desprezados conseguimos saber o que é estar com uma paixão daquelas "de cortar a respiração"?

1:27 da manhã  
Blogger Miss Xangai said...

Claro que conseguimos. Não é só através do mau que sentimos o bom. Faz bem sofrer um bocadinho de vez em quando, mas para mim, o bom sonsegue ser bom sozinho...

2:43 da tarde  
Anonymous cat said...

Se encontrarmos o amor da nossa vida, temos que alimentá-lo todos os dias, e mesmo que por vezes corra mal, continuamo-nos a sentir como nos primeiros meses de namoro!! Já perdi 2 grandes amores da minha vida, um por estupidez e outro por orgulho!! E até hoje me arrependo disso!! Não consigo deixar de pensar como seria hoje! E cada vez que os vejo sinto-me uma adolescente com as pernas bambas! Se amam uma pessoa não a percam, lutem por esse amor até ao fim! É tão bom amar e tão raro encontrar esse amor...

1:37 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Foi o texto mais bonito que li até hoje sobre o amor! Cheguei ao fim a chorar e muito! Senti cada palavra e percebi o significado que ele quis dizer! O que posso dizer é que amo muito alguém, e apesar de já não o ter comigo há alguns meses continuo a amá-lo como da primeira vez que demos o nosso primeiro beijo!! Merda de amor... As dores são horríveis, sentimos ódio e amor ao mesmo tempo! Queremos ser felizes e não sabemos como! Brindo a este amor que ele escreve e sonho algum dia encontrar alguém que ame assim, ou então já o terei encontrado...

2:03 da manhã  
Blogger Mary Mary said...

Lá ia eu andando pelo teu blog a ouvir esta bela música quando me deparei com este texto... Safa, que texto!
Até fiquei toda arrepiada. Quantas vezes não estamos num café e vemos casais novos e velhos sem assunto para conversar? Tantas vezes... Até demais...
Um brinde a esse amor que não irá tardar, pelo menos para mim, espero! Um grande elogio ao amor sem dúvida!

9:01 da tarde  
Blogger Mary wants a little Lamb said...

Este texto do Miguel ajudou-me a viver alguma parte dos meus tempos de adolescente. Se não me engano descobri-o quando li 'A causa das coisas', e achei divinal. Faz-nos pensar, não é?
Gosto do blog. E da música.

2:08 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home